Mercado livre de energia


O Mercado Livre de Energia se consolida como uma forma potencial de economia, meio seguro e confiável de adquirir energia elétrica por um valor negociável. Dentro de uma cadeia produtiva, todos os insumos devem ser objeto de negociação, e a energia elétrica também deve assim ser tratada.

A principal vantagem nesse ambiente é a possibilidade de o consumidor escolher, entre os diversos tipos de contratos, aquele que melhor atenda às suas expectativas de custo e benefício.

O mercado de energia no Brasil está dividido em ACR (Ambiente de Contratação Regulada), onde estão os consumidores cativos, e ACL (Ambiente de Contratação Livre), formado pelos consumidores livres.

Mercado Livre de Energia

Consumidor Cativo - ACR

(Pessoa Física ou Jurídica)

Compra energia elétrica necessariamente da concessionária ou permissionária responsável pela área na qual se encontra.
Não negocia preços e demais condições (as concessionárias seguem os preços determinados pela ANEEL).

Consumidor Livre - ACL

(Pessoa Jurídica com demanda a partir de 500kW)

Tem livre escolha para decidir o seu fornecedor de energia.
Negocia o preço e demais condições de acordo com suas necessidades/seu negócio.

Benefícios


Redução de Custos

Este é um dos principais benefícios para quem migra para o Mercado Livre de Energia. As empresas passam a negociar preço, prazo e indexação, além de poder adequar melhor seu consumo.

Previsibilidade Orçamentária

Ao poder negociar sua energia com antecedência no Mercado Livre de Energia, as empresas conseguem fazer uma previsão de orçamento, e não ficar sujeitas às variações e adversidades presentes no modelo tradicional.

Poder de Decisão

No modelo tradicional, os consumidores não podem escolher seus fornecedores de energia. Estão sujeitos aos aumentos e tarifas. Por isso, o Mercado Livre de Energia garante maior performance e rentabilidade para o negócio das empresas.

Sustentabilidade

Ao migrar para o Mercado Livre de Energia, o consumidor pode contratar energia de fontes renováveis, diminuindo assim a emissão de gases de efeito estufa.

EcoMais 2020 - Todos os direitos reservados